Monday, May 11, 2009




Não há machado que corte
a raíz ao pensamento
não há morte para o vento
não há morte

Se ao morrer o coração
morresse a luz que lhe é querida
sem razão seria a vida
sem razão

Nada apaga a luz que vive
num amor num pensamento
porque é livre como o vento
porque é livre
--Manuel Freire

3 comments:

Ana said...

Não há machado que corte a raiz ao pensamento, mesmo! Adoro Manuel Freire e este poema que faz parte da canção é extraordinário.
A bela imagem da gaivota livre como o vento, ilustra o maravilhoso poema.
Um grande beijinho bem doce.

Jonice said...

I loved the poem I've just read so much that I'm bringing it with me, dearest.

Beijinhos, Teresa :)

Anita said...

Ser feliz é encontrar força no perdão, segurança no palco do medo, amor nos desentendimentos, esperança nas batalhas e agradecer a Deus a cada minuto, pelo milagre da vida!!!

Um dia maravilhoso para ti.
beijos.
fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)